Neblina

 

Eu devia estar apavorado

Com tudo desmoronando;

Ou estar com medo

Por sentir amor;

Sentir-me culpado

Por deixar o gelo derreter;

Ou sentir-me cinza

Neste dia de neblina.

 

Devia estar com nó na garganta

Por estar vestido em nós cegos;

Ou pisar no freio

Quando o amor acelera;

Devia procurar a resposta

Mas a dúvida convenceu-me;

Devia estar perdido

E apesar de estar, não me sentir em abrigo.

 

Não devia querer navegar

Quando a tempestade acorda o mar;

Não devia sentir-me bem

No meio de tanto caos;

Não devia fazer da poesia

Esse rabisco da minha vida;

Não devia querer que minha vida

Um dia se torne poesia.

Anúncios

14 comentários sobre “Neblina

    • Poxa.. que legal. A melhor parte são os comentários, sabe? A atenção de comentar, ainda mais com essas palavras, dão uma força gigante.. sério. Brigadão mesmo. Visite sempre “) toda semana vou estar atualizando rs Bjão

      Curtir

  1. Adorando seus poemas 😀 . E acredito que tens sim de deixar a poesia ser a tua diretriz, sou suspeita em falar porque para mim ela é transformadora e poderia estar em todas as esquinas. Também já tive medo de me entregar em palavras. Hoje apenas reconheço que nossa existência é fruto de um lirismo desmedido.
    Parabéns pelo blog Tandy e obrigado por ter aparecido lá no meu cantinho de retalhos, um tanto bagunçado, mas feito de coração. Bjos

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s